top of page

PARA ler e PENSAR...

Preços mais elevados não impedem os americanos de viajar: De acordo com um estudo desenvolvido pela empresa de análises de mercado especializada em Turismo “MMGY Travel Intelligence”, mais de três quartos dos adultos americanos planeiam ir de férias em 2025 e 64% dizem mesmo terem intenção de viajar nos próximos seis meses. O mesmo documento igualmente conclui que o Traveler Sentiment Index subiu de 109 pontos em Fevereiro, para 113 em Março, deste ano, e que os turistas estão menos preocupados com a inflação e com os aumentos de preço. (16.04.2024) 

 

Principais cadeias hoteleiras marcam presença em África: De acordo com o último African Hotel Chain Development Pipeline mais de 70% dos quartos que estão presentemente em construção no continente africano são propriedade das 5 principais cadeias hoteleiras mundiais (Marriott International, Hilton Hotels, Radisson Hotel Group, Accor e IHG – Intercontinental Hotel Group). Desse total, o Egipto ficará com a parte de leão, com 28% do desenvolvimento hoteleiro, em África. (09.04.2024)  

 

Turistas americanos dispostos a gastar mais em viagens: Um estudo levado a cabo pela American Express Travel, relativo ao mercado americano, concluiu que 84% dos turistas espera gastar, em 2024, o mesmo ou mais dinheiro do que no ano passado. Nas conclusões também podem ver-se quais as principais tendências para este ano, tais como, viagens de aventura, do tipo expedições que proporcionem experiências transformadoras, férias construídas em torno de eventos desportivos (este é um ano de Jogos Olímpicos e de Campeonato Europeu de Futebol) e planos de viagem suficientemente flexíveis que permitam alterações de última hora e escapadelas espontâneas. (02.04.2024)  

Número de hotéis em construção bate recordes: Um relatório divulgado pela empresa de serviços de informação Lodging Econometrics, vem demonstrar que o número de unidades hoteleiras em construção em todo o mundo, no quarto trimestre de 2023, atingiu o recorde de 15.196 projectos, ou seja, um aumento de 7% se comparado com o mesmo período em 2022. Os EUA com 5.964 unidades (um novo máximo!) lideram este segmento do alojamento, seguidos da China, da Índia, do Reino Unido e da Arábia Saudita. (26.03.2024)

Um terço das receitas turísticas de Las Vegas provém do alojamento em hotéis: A “capital mundial do entretenimento” – Las Vegas – veio revelar a decomposição das suas receitas turísticas respeitantes ao ano passado (2023). Da leitura das mesmas pode constatar-se: que 33,1% do total dos proveitos obtidos resulta de estadas em unidades hoteleiras; que 26,6% são provenientes de jogo; 17,8% de comidas; 7,9% de bebidas; e, 14,6% de outras atracções. Ou seja, 73,4% do total das receitas deriva de áreas “não-jogo”. Em comparação homóloga, estes indicadores significam um decréscimo do “peso” do jogo, dado em 2022 as receitas por ele geradas representaram 30,41% do total, e deixam antever que a tendência será para que o fosso aumente, considerando que em 2024 já tiveram lugar ou vão realizar-se na cidade eventos como o Super Bowl LVI ou o Grande Prémio de Fórmula 1. (19.03.2024) 

 

O que quem viaja em negócios mais quer num hotel?: Na opinião da maioria dos especialistas em viagens de negócio, uma excelente rede WI-FI e o acesso ao “business center” para a realização de reuniões virtuais e impressão de documentos estão entre as vantagens mais apreciadas pelos hóspedes de um hotel. Contudo, as unidades que queiram apostar mais neste tipo de segmento devem também disponibilizar pequeno-almoço incluído e room service, para permitir poupar tempo, um serviço de portaria apto a fazer todo o tipo de reservas, oferecer a possibilidade de fazer check-in mais cedo e possuir um spa e um ginásio, para que os clientes possam relaxar nos tempos mortos. (12.03.2024)

 

Geração Z fortemente influenciada pelo TikTok: De acordo com um inquérito levado a cabo pela StudentUniverse (o principal site de reservas mundial para estudantes e jovens) 60% dos turistas com idade compreendida entre os 18 e os 25 anos usa a rede social TikTok como primeira escolha para obter ideias de viagens, com 40% a afirmarem que marcaram férias com base em conteúdos do TikTok e 88% a seguirem um ou mais influenciadores de viagens. Este estudo revela ainda outras tendências entre os turistas da Geração Z, tais como, uma ênfase no bem-estar, nas férias “sóbrias”, na predisposição para confiar na Inteligência Artificial e outras novas tecnologias e um aumento do interesse por opções de viagem mais ecológicas. (05.03.2024)

 

Espanha recebeu um número recorde de turistas em 2023: De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística de Espanha, o país alcançou o número recorde de 85,1 milhões de turistas no ano passado, ultrapassando assim o anterior máximo de 83,5 milhões, que datava de 2019. Em comparação com 2022 Espanha registou um aumento de 19%. Os seus principais mercados emissores foram a França, a Alemanha e o Reino Unido, enquanto a Catalunha foi a região mais procurada. (27.02.2024)    

 

Gastos em viagens de negócios vão aumentar: Um recente inquérito realizado pela GBTA – Global Business Travel Association revelou que cerca de dois terços das empresas acredita que os gastos em viagens de negócios este ano irão aumentar comparativamente com os efectuados no ano passado, enquanto 59% espera uma subida do número de deslocações. Muitos dos inquiridos sublinharam a sua preocupação com o aumento dos custos dos vários serviços turísticos como o problema mais sério que o sector enfrenta, a par da falta de orçamento por parte dos clientes e dos imponderáveis que interferem com a realização das viagens. (20.02.2024)  

 

Investimento na hotelaria pode aumentar 25%, em 2024: De acordo com o último Global Hotel Investment Outloook da JLL’s Hotels & Hospitality Group, é expectável que o volume de investimento na hotelaria projectado para todo o mundo tenha um aumento situado entre os 15% e os 25%, durante o corrente ano, contando-se entre os activos mais desejados os que disponibilizem um serviço altamente personalizado, estadas de longa duração e/ou unidades de luxo. Espera-se, igualmente, que os investidores demonstrem um particular interesse por mercados urbanos, como Tóquio ou Nova Iorque, e foquem-se na sustentabilidade e no turismo regenerativo. (13.02.2024)     

 

A implementação de iniciativas “ESG” no Turismo está a encontrar barreiras: De acordo com um inquérito realizado pela King’s Business School e pela Energy & Environment Alliance foram muitos os decisores empresariais do Turismo que invocaram obstáculos no que diz respeito à implementação de medidas de governança ambiental, social e corporativa, entre os quais figuram divergências nos padrões de comunicação e falta de conhecimento sobre os assuntos. Alguns dos inquiridos chegaram mesmo a dizer que dão mais importância à satisfação dos Clientes do que às medidas “ESG”. (06.02.2024)

 

Catástrofes naturais motivam aumento dos custos com seguros nos hotéis: Os preços das apólices de seguro na hotelaria – e no alojamento em geral – dispararam, após o número recorde de desastres climáticos ocorridos nos últimos tempos, de entre os quais se destacam fogos, furacões e inundações que, a título de exemplo e só no ano passado, nos EUA provocaram prejuízos de 81 mil milhões de dólares. Tais situações estão a fazer com que muitas seguradoras limitem as suas coberturas em zonas consideradas propensas para a ocorrência deste género de fenómenos. Assim, e para mitigar riscos, recomenda-se que a edificação de novas unidades seja feita com base em técnicas de construção e design que consigam lidar com este tipo de factores ambientais, para além da escolha de gabinetes de arquitectura e gestores de obra que possam ajudar a melhor avaliar (e, na medida do possível, evitar) estas ameaças. (30.01.2024)      

Entre 2019 e 2023 os ordenados dos trabalhadores americanos do Turismo aumentaram 29%: De acordo com o último relatório do “Bureau of Labour Statistics” dos EUA, de meados de 2019 a meados de 2023 os salários dos trabalhadores das diferentes actividades turísticas aumentaram em média 29%. Esta percentagem de crescimento da massa salarial no Turismo ultrapassa a verificada em 40 Estados Americanos, em áreas que são conhecidas por “pagarem bem”, como é o caso dos sectores da tecnologia e da energia. (23.01.2024)

 

Melhorar a infra-estrutura digital ajuda empresas e clientes: É cada vez mais importante que as empresas turísticas sejam proactivas em manter e optimizar a sua infra-estrutura digital, de modo a garantirem que os seus clientes têm Wi-Fi de alta velocidade e ficam protegidos de ameaças à cibersegurança. Igualmente, uma rede moderna gera maior rentabilidade dado: tornar as operações diárias mais eficientes; aumentar a produtividade; e, ajudar a prevenir falhas do/no sistema. (16.01.2024)   

Turistas mantêm percepção de manutenção de preços altos no alojamento e restauração, em 2024: Na opinião da maioria dos analistas de mercado, quem pretende viajar está plenamente consciente que os preços dos produtos e serviços turísticos nos sectores do alojamento e da restauração manter-se-ão elevados, ao longo do ano que agora se inicia. No entanto, os consumidores igualmente têm expectativas (muito) altas relativamente: à prestação dos serviços ser levada a cabo de forma mais cordial e atenciosa; ao asseio, limpeza e higienização; e a uma melhoria na qualidade da comida e oferta de bebidas. Para além destes aspectos, 2024 pode também ser o ano em que as gratificações feitas através de meios digitais passem a ser convencionais. (09.01.2024)

Inteligência Artificial (IA) ajuda a detectar parasitas nas camas de hotéis: Foi criado um inovador sistema de detecção de insectos/parasitas nas camas de hotel, baseado na combinação tecnológica das Empresas “Spotta” (controlo de pragas) e “MachineQ” (Internet das Coisas), que está a ter enorme aceitação junto do sector. O seu funcionamento consiste na instalação de um conjunto se sensores colocados debaixo dos colchões para detectarem a presença destes “ hóspedes indesejados” que, quando tal acontece, activam uma ferramenta de IA que, por sua vez, envia um alerta em tempo real ao serviço de quartos (housekeeping) de modo a que este possa prontamente intervir e “corrigir” a situação. (02.01.2024)

 

Fechaduras incorporadas nas portas dos quartos de hotel, proporcionam maior comodidade e ajudam à poupança: A eficiência da operação hoteleira pode ser amplamente melhorada pela colocação de fechaduras digitais nas portas que, se integradas com sensores e sistemas de gestão energética, permitem avaliar quando é que o hóspede está ou não no quarto e, desse modo, ajustar os respectivos parâmetros de iluminação e climatização, no/do mesmo. Este tipo de solução digital igualmente possibilita oferecer uma experiência mais confortável ao Cliente, dado permitir-lhe evitar o procedimento habitual do check-in, já que pode descarregar para o seu telemóvel a chave que lhe dá acesso ao quarto e às demais áreas do hotel. (26.12.2023)      

 

Maioria dos americanos planeia viajar no próximo Inverno: De acordo com os dados divulgados pelo “Winter Travel Index” da Tripadvisor, quase 60% dos americanos estimam viajar neste Inverno, sendo que desses 76% têm intenção de fazer uma ou duas viagens, enquanto 25% diz ir realizar três ou mais. Os destinos internos mais populares serão Nova Iorque, Orlando e Las Vegas; já nos internacionais os que terão maior preferência serão o México e as Caraíbas. (19.12.2023)

Abertura de hotéis na América Latina em ritmo recorde: De acordo com um estudo da empresa de serviços de informação Lodging Econometrics a abertura de hotéis na América Latina está prestes a bater um recorde, já que 43 unidades hoteleiras, com um total de 7.366 quartos, foram inauguradas até ao final do 3º trimestre e outros 29 hotéis, representando um total de 5.650 quartos, estão previstos abrir portas, até ao final de 2023. Mas, tão ou mais interessante, é o facto de naquela Região do globo, até ao final de Setembro próximo, estarem em curso 579 projectos, representado qualquer coisa como mais 95.144 quartos, o que significa um crescimento homólogo, respectivamente, de 6% e 5%. (12.12.2023)

Como podem as empresas turísticas ser bem-sucedidas na gestão dos trabalhadores da geração “Z”: Na opinião da maior parte dos especialistas, para recrutar e gerir empregados da geração “Z” devem as empresas turísticas começar por perceber (e entender!) os valores e interesses desses seus trabalhadores, tais como: desejo de horários flexíveis; um saudável equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional; um forte sentido de responsabilidade social; e, comunicar preferencialmente através de canais digitais. Conseguir criar um ambiente de trabalho positivo e atractivo engloba: a realização frequente de reuniões individuais; estimular os trabalhadores a reagirem e a partilharem as suas opiniões; proporcionar acções contínuas de formação profissional, para desenvolver novas capacidades; comunicar através de aplicações (“Apps”) de mensagens e outras ferramentas digitais semelhantes; e levar a cabo celebrações, sempre que algum objectivo é alcançado. (05.12.2023)     

Tendências de viagens para 2024: De acordo com um inquérito desenvolvido pela Booking.com as alterações climáticas irão influenciar o modo como cerca de metade dos turistas vai planear as suas viagens no próximo ano, algo que será mais acentuado junto dos mais jovens. De entre outras tendências apontadas sobressaem, um crescimento da/na utilização das ferramentas de Inteligência Artificial, quer na ajuda ao planeamento das viagens, quer nas reservas e, ainda, um interesse cada vez maior por fazer em férias a solo (individuais). (28.11.2023)   

 

2023 é o ano da recuperação do Turismo chinês: De acordo com o WTTC – Worl Travel & Tourism Council a actividade económica do turismo na China vai fechar o corrente ano em grande. A suportar esta afirmação estão os mais de 74 milhões de empregos criados em 2023, comparados com 2022, que representam um aumento homólogo de 18%, sendo ainda estimado um contributo de cerca de 1.300 biliões de Euros para a economia daquele país, o que representa qualquer coisa como mais de 150%, relativamente ao ano passado. Ainda comparando com 2022, o período que vai de Janeiro a Agosto, apresenta um aumento dos fluxos turísticos chineses para o estrangeiro de 506% (!). (21.11.2023)     

 

Tarifas hoteleiras a nível mundial vão continuar a subir em 2024: Um estudo levado a cabo pela American Express Global Business Travel e que abrangeu mais de 80 cidades do Mundo concluiu que os preços da hotelaria num vasto conjunto de locais irão sofrer aumentos significativos, sendo o maior “salto” esperado em Buenos Aires (Argentina), com 17,5%. A segunda maior subida ocorrerá em Bombaim (Índia), com 15%, seguida pelo Cairo (Egipto) e Chennai (Índia), com 14,6%, e por Bogotá (Colômbia), com 14,1%. (14.11.2023)    

 

Benefícios e desafios da utilização de robôs na hotelaria: De acordo com um relatório divulgado pela consultora MarketsandMarkets o mercado para a robótica ligada à hotelaria apresenta uma significativa projecção de crescimento, de 79 milhões de dólares em 2020 para 338 milhões de dólares em 2025. Mas o documento ainda diz mais. Refere que esta tecnologia será principalmente utilizada nos serviços de portaria, entregas nos quartos, limpeza e segurança, entre muitas outras finalidades. No entanto, e apesar dos robôs permitirem aliviar um pouco a pressão que existe relativamente à falta de pessoal e ajudarem a melhorar a eficiência, um dos grandes desafios que colocam é o de os conseguir integrar correctamente com as infra-estruturas hoteleiras já existentes e, desse modo, assegurar a sua correcta utilização. (07.11.2023)  

Sustentabilidade é uma prioridade para a maioria dos turistas: De acordo com o Euromonitor International’s Sustainable Travel Index 2023 quase 80% dos turistas estão na disposição de gastar, no mínimo, mais 10% por opções de viagens que tenham em consideração uma maior consciência ambiental, e 41% a pagar um adicional de 30% por deslocações que envolvam ecoturismo e viagens de aventura. Vale a pena referir que os 17 primeiros lugares deste Index são ocupados por países europeus, liderados pela Suécia, Finlândia e Áustria. Portugal ocupa o 16º lugar. (03.10.2023) 

Falta de trabalhadores no Turismo. Se isto é o que se passa nos EUA?...: Neste momento as diferentes actividades turísticas nos EUA têm cerca de 1.230.000 postos de trabalho por preencher, apesar do salário hora que em média está a ser pago ascender a $21 USD (cerca de 19,5€), dos benefícios extra ordenado terem aumentado e de grande parte das empresas (sobretudo as de maior dimensão) oferecerem bons programas de carreira e desenvolvimento profissional. Nesse sentido, e de modo a atenuar a escassez de mão-de-obra muitas associações ligadas ao Turismo defendem um alargamento dos vistos H-2B, que permitem a trabalhadores de países estrangeiros entrarem nos EUA e aí trabalharem por um período de tempo limitado. Assim, e perante um cenário destes, devemos interrogar-nos se um trabalhador que encaixe neste perfil vai optar por ir para aquele país ou, por exemplo, para Portugal? (26.09.2023)  

Região da Ásia-Pacífico alcança novo máximo de hotéis em desenvolvimento: De acordo com um relatório da consultora multinacional Lodging Econometrics, a construção em curso de unidades hoteleiras de luxo e/ou de elevado grau de sofisticação em todo o Mundo, atingiu um novo recorde absoluto no final do segundo trimestre de 2023, com 14.615 projectos em desenvolvimento, que totalizam 2.320.832 quartos, sendo que a região da Ásia-Pacífico lidera seguida, respectivamente, dos Estados Unidos da América, da Europa e do Médio Oriente. (19.09.2023) 

 

Como podem as empresas turísticas utilizar com segurança o reconhecimento facial?: Esta é uma tecnologia que pode ser muito útil às empresas turísticas dado permitir-lhes criarem uma maior personalização, disponibilizando serviços mais customizados e tratamento do Cliente pelo nome, nomeadamente, no acesso a restaurantes, bares, SPAs, ginásios e outras facilidades, através de uma transacção escorreita e fácil. Contudo, ao utilizarem-na, é importante que tenham em atenção a segurança dos dados e a salvaguarda da privacidade, bem como as preferências dos Clientes e o nível de conforto e confiança que, a este nível, lhes podem oferecer. (12.09.2023) 

Para a maior parte dos turistas o CoViD-19 já não é uma preocupação: De acordo com um inquérito elaborado pela Global Rescue (organização internacional de assistência a quem viaja) – o Traveler and Sentiment Safety Survey –, os turistas estão presentemente muito menos preocupados com o vírus que provocou a pandemia, do que se encontravam no ano passado. Não espanta pois que apenas 4% tenham respondido afirmativamente à questão, quando em 2022 eram 33%. Contudo, vale a pena destacar que quase 50% referiram preocupar-se em poderem magoar-se ou terem algum acidente durante uma viagem, 13% disseram sofrer de ansiedade relativamente a possíveis cancelamentos de serviços turísticos quando em viagem, enquanto o receio de poderem ir para um destino que possa ser alvo de agitação civil aumentou de 7%, em Janeiro, para 14%, neste Verão. (08.08.2023)

Realidade virtual está entre as mais recentes facilidades de entretenimento no quarto disponibilizadas pelos hotéis: As opções de entretenimento nos quartos de hotel estão a evoluir rapidamente a par da tecnologia, com um crescente número de unidades a disponibilizarem funcionalidades como o Google Home ou a Alexa da Amazon, possibilitando aos hóspedes agendarem o seu despertar, alterar a temperatura do quarto ou fazer pedidos de room service, através de comandos de voz. Outras, mais avançadas, incluem recomendações personalizadas e conteúdos, baseados em análise de dados e algoritmos de Inteligência Artificial, realidade aumentada que permite aceder a serviços virtuais de portaria, mapas interactivos e realidade virtual de modo a proporcionar experiências mais imersivas. (01.08.2023)   

Conteúdos digitais podem ajudar na venda junto de consumidores mais jovens: De acordo com a maioria dos especialistas os turistas actuais, sobretudo os que integram a geração “Z”, gastam uma quantidade significativa de tempo online à procura de viagens para realizarem, motivando com que seja crucial para as empresas de turismo disponibilizarem informações únicas e inspiradoras. Vídeos e outros conteúdos imersivos, que possam ser susceptíveis de atrair um público mais jovem, a par de uma forte presença nas redes sociais, podem não apenas fazer crescer as reservas como, também, contribuir para uma melhor conexão entra a oferta e a procura, bem como, uma maior lealdade às marcas. (25.07.2023)  

Inquérito sobre “room service” revela estranhas preferências dos americanos: Um recente inquérito levado a cabo pela central de reservas hoteleiras Hotels.com com o objectivo de conhecer melhor as “vontades” dos hóspedes no mercado dos EUA, revelou alguns pedidos, no mínimo, curiosos no que respeita ao serviço de quartos, como sejam: água de dieta; gelado derretido; ou solicitação para que o hotel cozinhe a carne ou o peixe caçados pelo próprio cliente, de modo a que este possa saborear os animais que acabou de “apanhar”. Para além deste aspecto, convém também referir: que os hambúrgueres são o pedido mais frequente; que o recurso ao “room service” está em franco crescimento; e que (importantíssimo!), 27% dos inquiridos disseram que os hóspedes gastam em média mais de 100 dólares por cada pedido que realizam neste âmbito. (18.07.2023)    

Responsabilidade ambiental em vias de revolucionar a contabilização de carbono: A responsabilidade ambiental (E-liability) é um conceito de contabilização do carbono que proporciona uma fácil, exacta e verificável fórmula de cálculo do total de emissões provocadas por qualquer produto ou serviço, desde o seu nascimento até ao seu final. Atenta a crescente preocupação de quem viaja com a pegada de carbono, este é um conceito para o qual as empresas e demais organizações turísticas, tal como os reguladores de todo o mundo devem começar a familiarizar-se com urgência, de modo a poderem responder positivamente quer à preocupação dos consumidores, quer à necessidade de sustentabilidade da oferta turística. (11.07.2023)  

 

Quartos comunicantes nos hotéis, com maior procura: À medida que as viagens multigeracionais vão ganhando popularidade e que os trabalhadores remotos ou híbridos se fazem crescentemente acompanhar pelas suas famílias nas deslocações em negócios, os pedidos de quartos comunicantes e/ou suites têm vindo a aumentar, nalgumas situações mais de 20%. Como muitas unidades não possuem espaços compatíveis em tão grande quantidade, optam por fazer obras de forma a poderem corresponder a este acréscimo da procura, em muitos casos reconvertendo suites de forma a acomodar diferentes espaços de trabalho e quartos com várias tipologias de camas. (04.07.2023)

Turismo gastronómico está em alta: A gastronomia é um dos segmentos turísticos que está, progressivamente, a conquistar mais adeptos. Por esta razão muitos hotéis estão a apostar em proporcionar experiências imersivas direccionadas para os produtos locais e cultura, de modo a criarem uma maior – e melhor! – identidade da (sua) marca, que enfatize frescas, saudáveis e sustentáveis propostas e ofertas. A proximidade e a personalização são igualmente componentes cruciais na construção da fidelização, levando a que os Clientes se sintam apreciados e distinguidos. (27.06.2023) 

Turismo de luxo “voltado” para a geração do milénio: A oferta turística de luxo está a renovar-se para se tornar mais apelativa à geração “Y” ou do milénio, dado a mesma já apresentar índices de consumo superiores à dos “Baby Boomers” e, principalmente, por se perspectivar que venha a representar 80% do total de gastos em produtos e serviços turísticos, em 2030. É pois natural que novas e arrojadas propostas apareçam, com o objectivo de proporcionarem irrepetíveis experiências – desde bares sofisticados, a excursões temáticas, a escapadelas para lugares selvagens ou inóspitos – cultivando, simultaneamente, um ambiente mais relaxado, descontraído e informal que, também, consiga dar resposta a reservas de última hora. (20.06.2023)    

Hotelaria avança a bom ritmo na Índia: A Índia continua a dar sinais de se poder vir a tornar numa potência turística à escala global. A prová-lo está o progresso que vem registando no sector hoteleiro. Só este ano está prevista a inauguração de mais 12.000 quartos e, nos próximos cinco anos, estão projectados investimentos acima dos 3,2 mil milhões de dólares em novas unidades de alojamento. Em consequência destes dados, muitas das mais importantes cadeias hoteleiras mundiais já vieram anunciar terem planos para apostar no destino Índia através das suas principais marcas de luxo. Sem dúvida que um dos aspectos que está na base de todo este frenesim é a subida de 66% da taxa de ocupação, em 2023. (13.06.2023)     

Flexibilidade e sustentabilidade são as palavras “de ordem” na retoma do turismo de eventos: À medida que após a pandemia as conferência e os eventos empresariais retornam, constata-se que as necessidades dos turistas mudaram, com a maior parte dos que neles participam a esperarem (e desejarem!) flexibilidade nas reservas, espaços de reunião mais inovadores, localização próxima dos locais onde o evento ocorre e alojamento que contemple tanto a vertente de “negócio”, como a de “lazer”. De acordo com o mais recente relatório da GBTA – Global Business Travel Association a sustentabilidade tem igualmente vindo a tornar-se cada vez mais importante, com 77% dos turistas que viajam em negócios a afirmar que consideram a minimização da sua pegada de carbono com uma prioridade moderada a principal. (06.06.2023)        

 

O que podem as empresas do turismo fazer para prevenir as fraudes com cartões de crédito?: De acordo com alguns estudos internacionais, mais de 50% das burlas com cartões de crédito ocorrem na actividade turística. Para se protegerem as empresas devem: cuidadosamente verificar a identidade dos seus clientes; realizar auditorias de segurança frequentes; e formar e treinar o pessoal para detectar e prevenir transacções fraudulentas. Adicionalmente, podem optar por investir em ferramentas de inteligência artificial que obriguem: a uma dupla autenticação; analisem o comportamento do utilizador; e implementem algoritmos e processos tecnológicos de aprendizagem automática que ajudem a identificar padrões de fraude. (30.05.2023)     

Mulheres ganham lentamente terreno nos lugares de topo do Turismo norte-americano, mas só nas organizações detidas… por mulheres: O mais recente estudo de mercado levado a cabo pela AHLA – American Hotel & Lodging Association revelou que há um crescente número de mulheres a ocuparem posições de liderança no Turismo dos EUA, representando já (apenas!) um quarto das posições do topo da gestão e metade dos cargos de direcção, pese embora tal (infelizmente!) só se verifique em organizações que têm outras mulheres como proprietárias ou accionistas de referência. O documento demonstra igualmente que no ano passado havia (somente!) 1 mulher por cada 7,9 homens nos lugares mais cimeiros da gestão de empresas ligadas ao investimento e desenvolvimento da actividade turística, enquanto em 2019 a proporção era de 1 por cada 10. (23.05.2023)     

 

Como tornar um bar de hotel num local popular: Transformar o habitual bar de hotel num ponto de encontro – ou até num “destino” em si mesmo – não é uma tarefa fácil. De entre as várias acções a tomar para a superar, é essencial: oferecer algo único/distinto e personalizado que tenha ligação com a temática que envolve a unidade; assegurar um padrão de serviço de excelência e consistente; e investir em tecnologia que melhore a experiência do Cliente. Para além disto, obter exposição através das redes sociais pode, igualmente, revelar-se como um forte argumento para aumentar a popularidade do local. (16.05.2023)   

 

"Bleisure" pressiona mudança no design dos hotéis: É crescente o número de unidades hoteleiras que estão a adaptar os seus quartos e espaços públicos de modo a melhor conseguirem acomodar as necessidades do aumento do fluxo de hóspedes que combinam estadas de trabalho com lazer (business + leisure), tendo atenção a características como: iluminação mais apropriada a videochamadas; mudanças nos quartos de modo retirar a cama do plano da imagem; e plataformas partilhadas em vez dos habituais “business centers”. Algumas cadeias começam mesmo a utilizar materiais de construção mais insonoros, para satisfazer clientes que necessitam de um ambiente de trabalho mais tranquilo. (09.05.2023)    

Três formas de sobressair num mercado competitivo: O futuro (aparentemente) apresenta-se risonho para a constelação turística. Contudo, ela vai ter que se adaptar a novas tecnologias e concorrência, identificar ganhos de eficiência e motivar e envolver a sua força de trabalho para garantir alta qualidade nos serviços prestados. As empresas turísticas podem, assim, estabelecer uma reputação de excelência num mercado altamente competitivo focando-se na eficiência, no controlo de qualidade e na gestão de custos. (02.05.2023)   

Estudo releva que 50% dos turistas estão dispostos a gastar mais: Metade dos inquiridos pelo Global Travel Trend Report de 2023, elaborado pela American Express, afirmaram ser sua intenção gastar mais dinheiro em viagens do que no ano passado, com 73% a dizerem que estão a planear viagens para melhorar a sua saúde física e mental e 81% a referirem que estão ansiosos por experimentar a gastronomia dos destinos para onde vão. Entre as gerações “Y” (do milénio) e “Z” 70% dos inquiridos disseram ter-se inspirado na escolha do seu local de férias após o terem visto nas redes sociais, na televisão ou num filme. (25.04.23)

Revolução nas casas-de-banho de hotel: Muitas unidades hoteleiras estão já a utilizar as mais recentes inovações tecnológicas nas suas casas-de-banho de modo a melhorarem a experiência dos hóspedes, a aumentarem a eficiência e a reduzirem a manutenção. Para o efeito, estão a incorporar novas tendências como: bidés que podem ser integrados numa sanita normal; espelhos mais luminosos devido à incorporação de lâmpadas “led”; e torneiras com um acabamento especial que evita que a água se acumule na sua superfície e deixe manchas, para além de terem o seu funcionamento controlado por sensores. (18.04.23)    

Como construir uma marca hoteleira de sucesso: Criar uma marca hoteleira memorável envolve começar por saber contar uma história autêntica que estabeleça uma conexão com os actuais e potenciais clientes e que consiga reflectir com precisão os objectivos de longo prazo da empresa. Algumas das formas de o alcançar passam por fazer uma criteriosa análise do mercado para determinar o que é que os consumidores procuram, evitar tendências que não se coadunem com a identidade da unidade e garantir que a área de comidas e bebidas complementa a ”energia” do hotel, ao mesmo tempo que atrai a comunidade local. (11.04.2023)  

Turistas americanos querem saber antecipadamente quanto vão pagar pela sua viagem: De acordo com um inquérito levado a cabo pela NerdWallet (empresa de finanças pessoais) quase dois terços dos americanos que estão a planear viajar este ano preferem saber de imediato qual o custo total da sua viagem, incluindo impostos, taxas e outros adicionais, do que terem acesso a tarifas que listem esses custos separadamente. Curiosamente, a geração mais atenta e exigente com esta situação é a dos “baby boomers”, enquanto a menos preocupada é a “Z”. (04.04.2023)

Vantagens dos hotéis quando comparados com alugueres de curta duração: Neste segmento de negócio, cada vez mais em voga, as unidades hoteleiras podem destacar alguns argumentos que as farão sobressair junto dos potenciais clientes, nomeadamente: os seus elevados padrões de limpeza, os pacotes e experiências temáticas que disponibilizam e os seus programas de fidelização, com todas as vantagens que os mesmos oferecem. Mas, há mais: por exemplo, para quem tem maior poder de compra, podem enfatizar alguns serviços mais luxuosos, como sejam, limpeza diária e a existência de portaria, a disponibilização de artigos de toalete de gama alta e o acesso ao spa. (28.03.2023)   

Algumas tendências das viagens de negócios vieram para ficar: Uma das principais conclusões que se pode retirar de uma análise mais fina da retoma das viagens de negócios é que alguns padrões alteraram-se de forma (quase) definitiva. Assim, as Terças e Quartas-Feiras tornaram-se nos principais dias da semana para este segmento, dado os trabalhadores híbridos serem mais propensos a desempenharem as suas tarefas a partir de casa, nas Segundas e Sextas-Feiras; as deslocações que combinam trabalho e lazer estão em franco crescimento; e, a duração média das estadas mais prolongadas apresenta valores superiores aos registados antes da pandemia. (21.03.2023)

Oferta “tudo-incluído” extravasa os limites físicos das unidades que a disponibilizam: Com o regresso da actividade turística em força, o segmento do “tudo-incluído” inovou e deixou de ficar “amarrado” aos limites geográficos das propriedades dos hotéis, deixando por isso de encorajar os hóspedes a aí permanecerem, com muitos “resorts” a incluírem na sua oferta excursões e possibilidade de transporte para sítios locais, enriquecendo dessa forma o produto que disponibilizam. (14.03.2023)       

Maioria dos hotéis planeia adicionar equipamentos controlados por voz: De acordo com o estudo para este ano da “Lodging Technology” mais de metade dos operadores hoteleiros planeia introduzir nos seus quartos equipamentos activados por voz, já que encontra inúmeras vantagens nessa decisão, de entre as quais se destacam: fazer com que os hóspedes se sintam (ainda mais) em casa; agilizar o uso de outros equipamentos poupando custos e espaço; e compensar a escassez de pessoal através de um meio que consegue dar resposta quer às perguntas que lhe possam ser colocadas, quer a várias solicitações de serviços. (07.03.2023) 

Como podem as unidades independentes sobressair no meio das grandes marcas hoteleiras: Na opinião da maioria dos especialistas os hotéis independentes têm que fazer um enorme esforço para conseguirem sobressair “num mar cada vez mais pejado de tubarões”. Nesse sentido, são factores críticos possuir uma identidade forte, a par de uma grande presença digital e, em simultâneo, recursos humanos altamente qualificados e treinados para detectarem as preferências dos hóspedes e aptos a ajudarem-nos a tornarem-se parte da “história” do hotel. (28.02.2023) 

Turismo ajusta-se ao “bleisure”: À medida que as viagens que combinam trabalho e lazer se vão tornando cada vez mais populares, a actividade turística está a esforçar-se arduamente para dar diferentes formas de serviço a esses consumidores. De entre elas destacam-se: providenciar para poder satisfazer qualquer necessidade ou material própria(o) de um escritório; fornecer propostas de preços para pacotes mensais (no caso do alojamento); melhorar as suas aplicações móveis (Apps) de modo a oferecer uma procura de serviços mais personalizada; e, também, dar aos clientes ideia sobre o que visitar e que excursões fazer, já que muitos deles viajam com a família. Em síntese, o Turismo está a moldar-se a esta nova cultura híbrida do mercado de trabalho/lazer. (21.02.2023)  

Turismo sempre na linha da frente da solidariedade: Na sequência do terremoto que devastou a Síria e a Turquia várias foram as estâncias turísticas, sobretudo as localizadas nos Mares Egeu e Mediterrâneo, portanto fora das zonas afectadas que, embora estando encerradas devido ao facto de nos encontrarmos em plena estação baixa, de imediato abriram as suas portas. Ao todo foram disponibilizados mais de 10.000 quartos para acolher sobreviventes e vítimas desta enorme catástrofe. (14.02.2023) 

Três formas de tornar o alojamento mais apelativo para quem tem animais de estimação: Um número cada vez maior de empresas ligadas ao sector do alojamento reconhece a importância dos animais de estimação/companhia para os seus donos, como mais um membro da “família”. Por isso disponibilizam gratuitamente várias comodidades aos bichanos de forma a tornar a estada de todos o mais agradável e confortável possível. Entre essas “mordomias” contam-se: a oferta de comida; de taças com água; e, apoio extra para quem tem cães guia. (07.02.2023) 

O que os hotéis estão a fazer para atrair público mais jovem para os seus espaços de restauração: Com o paulatino regresso dos clientes mais tradicionais aos restaurantes de hotel, os seus proprietários começam agora a focar-se em como conquistar as gerações mais jovens. De entre as várias propostas que têm sido postas em prática, destacam-se: tornar a refeição no quarto numa experiência atractiva, agradável e (até) surpreendente; criação de espaços de alimentação direccionados para as redes sociais; melhoria da oferta de comida saudável; e capacidade de satisfazer caprichos gastronómicos. (31.01.2023)    

 

Os fabulosos números da inauguração do Atlantis The Royal Hotel, no Dubai: Eis alguns dados relativos a esta unidade hoteleira, cuja inauguração ocorreu em meados deste mês, e que custou 1,5 mil milhões de dólares: o preço mais barato por quarto/noite que ali irá encontrar são 1.000 dólares; foram gastos 5 milhões de dólares (só) em fogo-de-artifício para a inauguração; o qual foi precedido por um espectáculo, de pouco mais de 1 hora, da artista Beyoncé, que terá cobrado cerca de 26 milhões de dólares pelo mesmo. (24.01.2023)

Empresas turísticas necessitam de websites mais acessíveis: Vários especialistas têm vindo a sublinhar que a crescente digitalização das actividades turísticas deve ser aproveitada pelas empresas para reflectirem sobre o quão acessíveis são/estão os seus sítios na internet, dado existir um vasto número de cibernautas/potenciais clientes com incapacidades várias, sobretudo, visuais, motoras e auditivas, aos quais os produtos e serviços também devem ser apresentados e vendidos. Assim, os mesmos deverão passar a conter novas opções de visita, tais como, reconhecimento de voz, leitores de ecrã e legendagem. (17.01.2023)  

 

Tendências de viagem dos turistas americanos para 2023: De acordo com as informações que nos chegam dos EUA, no ano que se está a iniciar é expectável que os consumidores procurem por viagens mais baratas, reduzam o custo das mesmas, preferindo a compra em “pacote”, e optem por deslocações que provoquem uma melhoria ou satisfação nas suas vidas. Outras tendências que se irão verificar são: a procura por viagens mais sustentáveis; e, aqueles que se decidirem por viagens de longa distância, vão querer visitar mais do que uma cidade ou um país. (10.01.2023)   

Empresas turísticas preparam-se para o inesperado: A grande maioria das empresas ligadas à actividade turística está a tentar antecipar qualquer surpresa com que o ano de 2023 as venha a confrontar. Por isso estão a preparar-se para catástrofes naturais, questões sanitárias e disrupções nas cadeias de abastecimento que afectem, principalmente, a distribuição alimentar. Igualmente estão a procurar adaptar-se às alterações das expectativas dos consumidores, quer dando maior atenção à saúde e ao bem-estar, quer recorrendo à utilização de tecnologia que as ajude a melhor gerir custos e atender às solicitações dos Clientes. (20.12.2022) 

 

Projecto visa aumentar o número de mulheres proprietárias de hotéis: Uma nova iniciativa, denominada “HerOwnership”, lançada pela Asian American Hotel Owners Association tem por grande objectivo incrementar o número de mulheres donas de um hotel já que, presentemente, apenas há 10% de unidades nessa condição. No evento que serviu de apresentação desta medida, várias foram as oradoras que sublinharam que o acesso ao ensino é crucial para que as mulheres possam progredir profissionalmente nas actividades turísticas. (13.12.2022)

Hotéis voltam-se para as Aplicações para resolverem o problema da falta de pessoal: Um recente inquérito levado a cabo pela AHLA – American Hotel & Lodging Association revelou que 87% das unidades hoteleiras debatem-se com falta de colaboradores e, por isso, estão a voltar-se para a tecnologia de modo a conseguirem ultrapassar essa dificuldade. É que muitas vezes uma coisa tão simples como uma “App” torna-se num valioso ponto de contacto com o hóspede que, através desse meio, consegue facilmente efectuar o check-in, encontrar o quarto ou obter informação acerca dos serviços disponibilizados pelo hotel. O que o inquérito não refere – e seria importante! – é o nível de banalização da interacção com o cliente, já que a mesma fica muito mais impessoal. (06.12.2022)  

Empresas devem tornar a sua oferta mais acessível: Quem olhar com atenção para a evolução demográfica, facilmente perceberá que só tem a ganhar em tornar os seus produtos e serviços mais acessíveis, considerando o crescente número de turistas – são já largos milhões! – da geração “baby boomers” que é possuidor de algum constrangimento ou, mesmo, incapacidade. Assim, muitos especialistas recomendam que as empresas turísticas passem a disponibilizar esse tipo de informação nos seus websites, bem como a pensar as suas operações considerando o bom acolhimento a clientes que possam ter algum tipo de limitação. (29.11.2022)   

 

Turistas dão prioridade à saúde e ao bem-estar: Um recente inquérito realizado pela Hilton Hotels concluiu que os consumidores de produtos e serviços turísticos que viajam internacionalmente com maior frequência dão prioridade ao bem-estar, nomeadamente, dando preferência à existência de equipamentos/condições que proporcionem melhores cuidados físicos e possibilitem uma alimentação mais saudável. Este inquérito revela ainda que este tipo de turistas opta por estadas mais prolongadas. (22.11.2022)

 

As principais tendências de design dos hotéis de amanhã… e de hoje: Fazer o hóspede sentir-se especial é o (único) objectivo! Para o alcançar, os especialistas em arquitectura e construção elegeram seis grandes aspectos que devem ser tidos em devida conta por qualquer unidade hoteleira que queira sobressair e merecer a preferência dos consumidores. São eles: personalizar o mais possível a oferta; dar sumptuosidade aos quartos; adoptar o máximo de tecnologia sem necessidade de toque; apostar nas áreas de F&B; reflectir a história da comunidade onde o hotel está localizado; e, optar por fazer escolhas sustentáveis. (15.11.2022)   

 

Preços dos hotéis disparam acima dos 200% nos EUA: O mais recente inquérito levado a cabo pelo sítio de aconselhamento de destinos de viagem “The Family Vacation Guide”, versando exclusivamente sobre unidades hoteleiras situadas nos Estados Unidos da América, apurou que os preços presentemente em vigor estão mais de 200% acima dos praticados antes da pandemia. De entre os vários destinos, Honolulu e Nova Iorque lideram a “tabela” dos que registam maiores aumentos, respectivamente com 252% e 226%. (08.11.2022)

Tempos desafiantes para quem gere empresas turísticas: Inflação elevada, procura robusta e falta de pessoal qualificado são apenas três dos temas que presentemente estão na “ordem do dia” da agenda de qualquer equipa de gestão de uma organização/empresa turística, cuja actividade económica, é bom não o esquecer, ainda tenta recuperar da pandemia causada pelo coronavírus. Para além destes factores, o burburinho em torno de possíveis fusões e aquisições ainda complica mais a vida aos decisores que, assim, ficam e sentem-se cada vez mais pressionados. (01.11.2022)

Boas notícias do mercado americano: Uma recente análise levada a cabo pela American Hotel & Lodging Association adianta que tanto o segmento do lazer, como o de negócios, encontram-se a recuperar extremamente bem. A comprová-lo estão as previsões de fecho do corrente ano que apontam para um aumento de 14% nas viagens de lazer e uma recuperação de 99% nas de negócios, se comparadas com os resultados obtidos em 2019. No entanto, estas projecções demonstram que a retoma não está a ser homogénea, dado variar de local para local, para além de ainda poder vir a ser influenciada pela inflação. (25.10.2022)  

 

O que os hotéis estão a fazer para conquistar as comunidades locais: Um pouco por todo o Mundo as unidades hoteleiras estão a levar a cabo um grande esforço para atraírem mais clientes para os seus bares e restaurantes, de modo a conseguirem criar um nível de consumo (e de receita!) estável, motivado por uma clientela fiel que saiba que aí pode ser atendida/servida a qualquer hora do dia. De entre as várias estratégias utilizadas, sobressaem as que contemplam preços mais vantajosos de menus para quem demonstre ser (habitar ou trabalhar) da zona e animação ao vivo. (18.10.2022) 

Cibersegurança no topo das prioridades das empresas turísticas: A empresa de computação em nuvem Rackspace Technology encomendou um estudo à consultora Coleman Parkes Research para avaliar quais eram as principais preocupações do tecido empresarial turístico, presentemente. De entre as respostas obtidas, destacam-se as dos responsáveis pela área das Tecnologias de Informação, já que 56% vê a cibersegurança como uma enorme ameaça. Vale a pena ainda referir que 37% se diz preparado para um ciberataque e 74% afirma ter investido significativamente em cibersegurança, desde 2017. (11.10.2022)  

Turismo tenta ir ao encontro dos novos hábitos de viagem: Actualmente é inquestionável que os consumidores mudaram os seus hábitos de viagem durante e por causa da pandemia, o que tem motivado que os agentes económicos da constelação turística estejam a tentar adaptar-se, entre outras, a deslocações mais demoradas e à possibilidade de trabalho remoto. Daí não ser de espantar que as empresas turísticas tentem tirar partido desta nova realidade, nomeadamente, proporcionando maior flexibilidade nas reservas e reembolsos, melhorando programas de fidelização e oferecendo vantagens a quem opte por estadas híbridas ou mesmo por apenas continuar a exercer a sua actividade profissional à distância. (04.10.2022) 

Hotéis de aeroporto criam estratégias em torno dos cancelamentos: Aqueles que acompanham de perto o Turismo certamente já se deram conta que os “denominados” hotéis de aeroporto têm vindo a conseguir acompanhar a crescente procura por quartos, em consequência do aumento de atrasos e cancelamento de voos que se vêm registando. E têm tido sucesso muito graças a melhorias introduzidas: a) na gestão de receitas (revenue management); b) na adopção de novas ferramentas digitais, sobretudo software; c) e no estabelecimento de acordos com companhias aéreas. Esta tríplice acção tem motivado que consigam garantir um melhor controlo quer sobre as reservas, quer sobre os preços a praticar. (26.09.2022)

Hotéis valorizam pequeno-almoço: Um pouco por todo o Mundo vem-se notando uma crescente atenção por parte da esmagadora maioria das unidades hoteleiras para com o pequeno-almoço, assumindo essa refeição como a mais importante do dia, o que na prática vêm traduzindo quer através de uma maior variedade dos menus disponibilizados, quer pelo aumento do horário de serviço, isto sem descurarem a proposta de opções alimentares mais saudáveis, mais amigas do ambiente e que contemplem uma maior gama de produtos locais. Devido ao facto de terem consciência que rentabilidade deste serviço de refeição depende na sua quase totalidade do custo dos alimentos e do pessoal, muitas unidades estão a optar pela disponibilização de menores quantidades de cada prato, nomeadamente recorrendo a ementas à la carte. (20.09.2022)

 

Cerimónias fúnebres da Rainha fazem disparar os preços: De acordo com vários inquéritos, análises a plataformas de reservas e pedidos de cotação directamente a alguns fornecedores, conclui-se que as centenas de milhares de pessoas que se deslocarão por estes dias a Londres, para participarem nas cerimónias fúnebres da Rainha Isabel II, estão a ser confrontadas com um incremento de preços dos produtos e serviços turísticos, nomeadamente do alojamento, que ascende a mais de 300%. Para além do óbvio aumento da procura, em razão dos vários eventos que ocorrerão ao longo de toda a semana, a mesma foi impulsionada pela necessidade de hospedar elementos das várias forças de segurança, em particular para o funeral da próxima segunda-feira, dia 19, no qual estarão presentes inúmeros Chefes de Estado e de Governo. (13.09.2022)

Palestinianos com deficiência contratados para trabalhar num hotel: Todos sabemos que uma sociedade para ser mais justa tem, forçosamente, de ser mais inclusiva! E para tal é fundamental que também todos tenham as mesmas oportunidades. Ora é exactamente isso que um recém-inaugurado hotel boutique da cidade palestiniana de Belém fez, ao estabelecer um protocolo de colaboração com uma organização local de apoio a pessoas com deficiências intelectuais/mentais – Maan lil-Hayat –, ao contratar vários dos seus membros para aí trabalharem, dando visibilidade à sua condição, provando as suas capacidades e contribuindo para a sua integração e realização social. (06.09.2022)   

Hotelaria na Europa vai de vento em popa: De acordo com o último relatório da consultora internacional Lodging Econometrics, especializada no sector do alojamento, a abertura de novos hotéis no continente europeu está em “alta”. A prová-lo estão as 188 novas aberturas registadas no primeiro semestre deste ano e, sobretudo, as 447 projectadas até ao fim de 2022. E mais, tendo o Reino Unido como líder na captação de novas unidades, presentemente encontram-se 817 hotéis em construção e prevê-se que outros 413 comecem a ser edificados nos próximos 12 meses. (30.08.2022) 

Oferta de férias sem álcool em franco crescimento: É inquestionável que todos nós estamos cada vez mais despertos para a importância dos cuidados que devemos ter para com a nossa saúde, o que no caso das viagens está a reflectir-se em novas tendências, nomeadamente, a das férias “livres” de bebidas alcoólicas. Tal situação tem provocado que muitos agentes turísticos, em particular hotéis e restaurantes, comecem a disponibilizar ofertas que vão ao encontro desta “nova” preferência, por vezes acrescentando-lhe aspectos bem criativos, como seja, a apresentação de menus inspirados na célebre “Lei Seca” muito em voga nos EUA, nos anos 20 e 30 do século passado. (23.08.2022)

Lucros na hotelaria disparam, enquanto no transporte aéreo marcam passo: Vários analistas vêm alertando que o aumento da procura turística fez disparar os lucros dos hotéis, enquanto as companhias aéreas continuam bastante aquém das projecções que o crescimento de tráfego indiciava. Tal situação deve-se, essencialmente, à falta de pessoal que afecta ambos os sectores estar a penalizar mais as empresas transportadoras, dado o nível de especialização requerido para aí trabalhar ser mais elevado do que num hotel, logo mais difícil de substituir. (16.08.2022)

Hóspedes reagem positivamente ao atendimento por robôs: Um inquérito levado a cabo pela Universidade de Durham (Inglaterra), junto de 10.000 consumidores, revela que o serviço prestado por robôs em unidades hoteleiras tem-se revelado um verdadeiro sucesso, contrariando as opiniões dominantes que defendiam o pouco à vontade e desconforto dos clientes em serem atendidos por “máquinas”. Por isso, não deixa de ser surpreendente que esta pesquisa sugira que, de um modo geral, os hóspedes têm um sentimento crescentemente positivo quer em interagirem com robôs, quer em serem atendidos/servidos por um. (09.08.2022)

Compra de hotéis na região da Ásia-Pacífico ao nível de 2019: De acordo com uma análise divulgada pela multinacional imobiliária JLL, apesar do “trambolhão” que as transacções têm registado na China, o investimento em unidades hoteleiras em toda a Ásia-Pacífico voltou aos níveis pré-pandémicos. A principal fonte de oportunidade são os hotéis em dificuldades económicas. Ainda de acordo com os números divulgados, o investimento aumentou 33% comparativamente ao registado na primeira metade de 2021 e 11,9%, no período homólogo de 2019. (02.08.2022) 

Pequim proíbe festas de casamento e outros eventos em hotéis: Em consequência dos inúmeros surtos de CoVid-19 que se têm vindo a verificar um pouco por todo o país, e no cumprimento das regras aprovadas e postas em prática em todo o seu território, a China proibiu todas as unidades hoteleiras da sua capital de realizarem reuniões, congressos, festas, banquetes e outro tipo de manifestações que impliquem a aglomeração de pessoas, não obstante o número reduzidíssimo de casos que aquela cidade tem (oficialmente) registado nas últimas semanas. (26.07.2022) 

Hotéis americanos tentam contrariar o aumento do preço dos combustíveis: O que está a acontecer nos EUA pode ser um dos muitos exemplos que rapidamente acabará por saltar o Atlântico. Mas, afinal, de que se trata? De modo a “adoçar” os preços e simultaneamente contrariar a inflação que começa a prejudicar as viagens, principalmente a nível doméstico, muitos hotéis estão já a oferecer vales de gasolina como vantagem, tentando dessa forma contrariar a subida do preço dos combustíveis – e também o preço dos quartos. É que de acordo com estudos recentes, cerca de metade dos inquiridos referiu ir diminuir a duração das suas viagens e dar preferência a destinos mais perto do seu local de residência, quando as mesmas impliquem a utilização de automóvel. (19.07.2022) 

Empresas turísticas competem pelo segmento LGBTQIA+: De acordo com diversos inquéritos promovidos a nível internacional, os turistas LGBTQIA+ que na maioria das viagens sentiam-se marginalizados e, mesmo, inseguros, estão a constatar que há uma crescente ênfase na sua inclusão por parte das empresas turísticas, até porque muitas delas são detidas (também) por lésbicas e homossexuais. Mas, de uma forma geral, constatam que há uma maior preocupação em proporcionar-lhes ofertas especiais, tais como, o encaminhamento para espaços de diversão onde serão bem-vindos, espectáculos dedicados a este tipo de público ou mesmo eventos especialmente concebidos para os reunirem, tudo isto acompanhado por uma melhor sensibilidade e formação dada aos profissionais das empresas que os atendem, tanto na origem, como no destino. (12.07.2022)        

Hotel “sui generis” na Suíça torna-se num êxito: Desenganem-se os que pensam que a oferta turística está nos seus limites. Pelo menos é isso que uma equipa de artistas conceptuais está a conseguir demonstrar com o pequeno hotel que montaram/construíram em plenos Alpes, à beira de uma estrada no Cantão de Valais, na Suíça, o qual é detentor de “0” (zero) estrelas, sendo que o seu único quarto é composto por uma cama de casal, sem paredes, nem tecto. Na opinião dos seus “criadores” pernoitar neste alojamento é uma demonstração clara das mudanças urgentes que a sociedade precisa e, igualmente, uma experiência “anti idílica”. Mas o mais surpreendente é que esta “unidade hoteleira” já tem uma lista de espera de, nada mais, nada menos, 6.500(!) reservas. (05.07.2022)

Nasceu uma nova função na hotelaria e na restauração, os “waitographers”: As “selfies” estão cada vez mais na moda, sempre que vamos a um hotel ou a um restaurante, sobretudo se estamos em grupo. Ora este “pormaior” não tem passado despercebido a muitas empresas turísticas que decidiram acrescentar aos seus produtos e serviços ajuda especializada aos seus clientes, para evitar que algo possa correr mal. E, assim, nasceram os “waitographers”, um misto de empregado de mesa e fotógrafo, com formação ministrada por verdadeiros profissionais da fotografia. Tudo para que as imagens feitas a partir dos telemóveis dos clientes fiquem nítidas, equilibradas, centradas e sem dedos à frente da lente. A Hilton Hotels adiantou-se à concorrência e foi a primeira grande cadeia hoteleira a adoptar mais este factor diferenciador. (28.06.2022)

A explosão do “bleisure” está a concentrar as atenções do Turismo: A mistura do trabalho com prazer está a revelar-se uma autêntica poção inebriante para os diferentes sectores que compõem a actividade turística, com vários estudos a demonstrarem um aumento de cerca de 25% do interesse dos consumidores nas denominadas “workations” (férias em trabalho). E o mais interessante é que esta tendência também começa a envolver as famílias, o que está a provocar uma rápida adaptação da oferta para corresponder a viagens mais prolongadas. (21.06.2022)

Investimento hoteleiro em África de vento em popa: O primeiro trimestre de 2022 trouxe-nos a agradável surpresa do continente africano ter registado o maior índice de sempre de desenvolvimento da sua hotelaria, isto apesar da tendência verificada não ser extensível à Região Subsariana. Dos dados já disponíveis e publicados é possível constatar que em 42 dos 54 países africanos abriram portas 447 novos hotéis, disponibilizando cerca de 80.300 quartos. A liderar o continente neste domínio estão Egipto, Marrocos, Etiópia, Cabo Verde e Nigéria. (14.05.2022)        

Estagflação pode atrasar a retoma do turismo: Apesar das boas perspectivas que a actividade turística tem vindo a apresentar nos últimos tempos, a maior parte dos especialistas, com os economistas à cabeça, advertem que a possibilidade do Turismo se vir a confrontar com um cenário de estagflação, semelhante ao verificado na década de 70 do século passado, não deve deixar de ser considerado, já que isso significaria uma queda abrupta da actividade económica em simultâneo com um forte aumento da inflação. Caso tal aconteça, as empresas com poucos activos e maiores taxas de rentabilidade estarão em maior vantagem para lidarem com a turbulência que daí resultará. (06.06.2022)  

bottom of page